Make your own free website on Tripod.com

Encadernação Simplificada

Se você gosta de ler no papel de verdade, e não um pdf ou postscript na tela do computador, e gasta litros de tinta ou toner na sua impressora para por os livros no papel, aqui está uma solução simples que inventei para organizar melhor os meus documentos, deixando-os mais fáceis de manusear.

folhas soltas

A maioria dos encadernadores oferecem serviços de baixo custo, perfurando as bordas do papel e incluindo espirais de plástico, por serem mais convenientes e rápidos de encadernar. Folhas soltas não podem ser agrupadas em cadernos (assinaturas ou signatures como se diz na linguagem técnica), o que precisaria dispormos de uma impressora no fomato A3, ou seja, com folha dupla, dobrada ao meio e com a impressão reorganizada. Não gosto muito destas espirais, pois nem sempre tornam fácil virar as páginas de um livro, além do que são frágeis e costumam largar as folhas com o tempo.

Materiais para a encadernação

Então, depois de várias tentativas (mal sucedidas) de encardernar com cola, dorso de linho ou outros tecidos, e várias outras técnicas tradicionais, resolvi partir para minha própria solução. Com um pouco de criatividade, minha técnica tornou-se bastante simples e eficiente, além de requerer um mínimo de equipamentos e ter custo baixíssimo por volume encadernado. Esse último requisito é essencial, senão não há vantagem alguma em se imprimir um documento longo, como um livro. Seria melhor comprar o livro produzido industrialmente.

ferramentas

As ferramentas necessárias para o trabalho de encadernação de documentos impressos está ao alcançe de qualquer pessoa:

Se você puder dar-se ao luxo de ter dois ou mais sargentos, que são ítens baratos e com outras utilidades como colar madeiras, o trabalho fica ainda mais fácil. Podemos então colocá-los posicionados ao longo das barras na preparação do dorso do livro.

serrando os veios

Preparando o volume

Primeiramente precisamos juntar bem todas as folhas, o m÷lhor alinhadas possível, e segurá-las com as duas barras e o sargento como mostrado na figura. Para conseguir isso, segure todo o material e bata-o suavemente numa mesa até as folhas ficarem bem alinhadas, sem "lombadas" e "vales". Essa parte inicial é muito importante, pois depois de coladas, não podemos mudar nada de lugar, e não iremos "guilhotinar" o livro depois de pronto.

Depois iremos serrar veios com cerca de 2mm de profundidade¸ o suficiente para permitir penetrar o barbante na fenda produzida. Serão serradas 16 fendas dessas, regularmente espaçadas ao longo do dorso d÷ livro. Sob nenhum hipótese o sargento (ou sargentos, se estviermos usando vários) deve ser mudado de posiçso. Corte apenas onde não houver o sargento atrapalhando, o que já é suficiente. Geralmente ponho o sargento no ponto médio do livro e faço 8 fendas de cada lado. Procure deixar a primeira fenda o mais próximo possível da extremidade do livro, digamos 3mm. Isso dará maior firmeza ao volume encadernado. Tente deixar as fendas perpendiculares ao dorso do livro.

passando cola
colocando os barbantes
colocando os barbantes 2

Agora vem a parte mais importante da encadernação, o que dará a resistência ao volume. A idéia é que os barbantes arrodeados de cola farão as vezes de cadernos costurados na encadernação tradicional. Devemos inicialmente cortar 16 pedaços de barbante com compimento suficiente para permitir o seu manuseio, já que eles deverão ser intoduzidos nas fendas que preparamos na etapa anterior. Eu simplesmente corto cerca de 1,5m e divido em 16 partes iguais, dobrando sucessivamente o barbante.

A sequência de fotos ao lado mostra as etapas essenciais do procedimento. Passamos cola no dorso, já com as fendas todas serradas, e antes que a cola seque, iremos dispor os pedaços de barbante, introduzindo-os firmemente até tocarem o fundo do sulco formado pela serra. O barbante ficará totalmente "molhado" pela cola, o que é desejável, pois esta irá plastificar-se com o barte formando uma espécie de filler, que dá rigidez e mantem as folhas bem juntas umas das outras. A falha nessa etapa significa que o livro nso conseguirá ser bem aberto sem descolar as folhas. Na prática, tenho notado que o meu método produz livros bem melhores que os encontrados no mercado, a despeito destes últimos serem produzidos industrialmente. O "segredo" do meu método está no barbante, que dá maior rigidez à cola. As fendas também contribuem pois fazem o barbante ficarem como que "arrodeados" de papel por (quase) todos os lados, evitando sua movimentação.

Depois de introduzidos todos os pedaços de barbantes, passamos mais uma demão de cola por cima, espalhando-a suavemente com o dedo, ou um pincel, se assim o desejarmos. Esperamos secar bem, sem remover o sargento. Caso o livro deva ser bastante consultado, é interessante passarmos mais uma demão de cola, mas somente depois que a demão anterior esteja bem seca. Quando todas as demão de cola estiverem bem secas, podemos remover os argentos e as barras de aço que mantiveram as folhas no lugar. Limpe bem as barras, removendo fragmentos de cola, e guarde-as para novos encadernamentos.

Podemos agora cortar as pontas do barbante que foram usadas para segurá-los na etapa de inserção. Apesar de ser possível cortá-los com uma tesoura, é preferível usar um estilete bem afiado. Eu não o inclui na lista de ferramentas acima, porque não é realmente indispensável, mas torna o trabalho mais fácil. Corte os barbantes o mais rente possível da primeira (ou última) página do livro. Se a primeira e última páginas têm material interessante, é possível adicionar (mas não agora!) uma folha de papel em branco no início e no final.

Importante: não abra o livro ainda! Ele está frágil, principalmente nas primeiras e últimas páginas. Não retire os sargentos enquanto a cola ainda estiver úmida.

Terminada esta etapa, o seu volume já parece um trabalho proffisional, bem seguro, exceto pela páginas iniciais ou finais. Uma etapa adicional para dar maior robustez é colar um pedaço de brim de algodão ou linho na borda, mas não descreveremos aqui os detalhes. Para a grande maioria dos casos, a capa de cartolina simples, como mostraremos a seguir é o suficiente. Tenho alguns livros que encardenei com "capa dura", que essencialmente são dois pedaços de papel cartão (bastante grosso) "embrulhados" com um papel aveludado ou papel pedra, encontrado em lojas que vendem material de encadernação.

Colocando uma capa

capa de cartolina

O livro fica mais bonito e sólido se envolvido por uma capa de cartolina comum. Primeiramente, meça ou marque com um lápis de grafite o contorno da capa e corte-a com um estilete e uma régua, ou melhor, uma guilhotina de escritório. Uma tesoura pode ser usada, mas nesse caso, precisamos ter mais cuidado, para não deixarmos um zig-zag nas bordas da capa.

As figuras a seguir mostram etapas na colagem da capa, que não apresenta nada de especial. Após passarmos a cola no dorso do livro, colocamos ele sobre a capa, dobrando-a e passando um pedaço de pano ou algodão com firmeza sobre o dorso, expulsando todo o excesso de cola para as extermidades. Podemos por vários outros livros sobre o livro recém colado, para deixá-lo secar sob pressão. O ideal seria colocá-lo numa prensa, mas aí precisaríamos de um atelier de encadernador...

cortando a capa

Cortando a capa

capa de cartolina

Colando a capa no livro

obra concluida

Obra concluida


Rildo Pragana
Back Home